Sábado, 18 de Novembro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
STF vota fim da proibição de doação de sangue por homossexuais
Jovem é agredido e ameaçado de morte, em festa, por ser homossexual
Dragon Ball Super: Elenco fala sobre possibilidade de Whis e Bills serem gays
Doação de sangue e o Supremo: saúde e igualdade
Frota perde ação, diz que juiz é do movimento gay e “julgou com a bunda”

Polémico algoritmo lê numa foto se é heterossexual ou gay

11/09/2017:

 

Um algoritmo controverso, desenvolvido por investigadores da Universidade de Stanford, nos EUA, é capaz de ‘ler’ nas fotografias a orientação sexual da pessoa. Este ‘gaydar’ tem uma fiabilidade de 91 por cento, muito acima dos melhores resultados obtidos por avaliadores humanos.

De acordo com o estudo, cujo resumo foi publicado no Journal of Personality and Social Psychology, o algoritmo analisou mais de 35 mil fotografias de um site de encontros, registando taxas de sucesso de 81 por cento na distinção entre homens hetero e homossexuais e de 74 por cento nas mulheres.

 

Quando analisou mais de cinco fotografias da mesma pessoa, a taxa de eficiência na deteção da orientação sexual subiu para os 91 por cento, nos homens, e 83 por cento, nas mulheres.

 

Um júri formado por humanos ficou muito abaixo nesta capacidade de separar hetero e homossexuais: 61 por cento no género masculino e 54 por cento no feminino.

“O rosto contém muita informação sobre a orientação sexual que é passível de ser assimilada e interpretada pelo cérebro humano”, destacaram os autores, Michal Kosinski e Yilun Wang.

 

É preciso é treinar o olhar. Este ‘gaydar’ (neologismo dos norte-americanos para ‘radar de gays’) foi programado para basear a análise em características subtis da cara humana. Homens e mulheres homossexuais tendem a apresentar pormenores “pouco típicos para o género”, patentes no “cuidado com o estilo” que aplicam na forma como tratam partes do rosto.

Mas há também características físicas a separar os homo dos heterossexuais, concluiu o novo algoritmo. Os homossexuais tendem a ter maxilares mais finos, narizes mais compridos e testas mais altas do que os heterossexuais.

Nas mulheres, as lésbicas tendem a ter maxilares mais grossos e testas mais baixas.

 

Nas conclusões, os autores referem que o estudo “dá um forte sustento” à teoria de que a orientação sexual pode ser influenciada por hormonas antes do nascimento: ou seja, ser gay não é uma escolha, já se nasce assim.

 

A comunidade científica caiu em cima dos investigadores por não terem usado fotografias de negros e por não considerarem outras orientações sexuais, como transgénero e bissexual.

Os ativistas pelos direitos LGBT também não perdoam este novo algoritmo, considerando que é uma violação da intimidade da pessoa (as fotografias foram retiradas de um site público, pelo que os membros não assinaram qualquer consentimento) e que pode ser usado contra as ambições da comunidade LGBT.

 

 

 

http://ptjornal.com/polemico-algoritmo-le-numa-foto-heterossexual-gay-193945

 

Comente esta matéria
Título: Polémico algoritmo lê numa foto se é heterossexual ou gay
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.