Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
Sexo seguro entre mulheres tem pouca discussão na sociedade
Leia a versão online da cartilha ‘Ministério Público e os Direitos de LGBT’
Stanford oferece programa exclusivo para liderança LGBT
Salvador terá feira de empreendedorismo dedicada ao público LGBT
Bandeira LGBTI na Bahia ganha cor branca pela paz

Ellen DeGeneres sobre se assumir lésbica: “Assustador e solitário”

11/08/2017:

 

Reação negativa do público e da imprensa fez com que a apresentadora entrasse em depressão profunda quando se assumiu lésbica.

 

Por Anna Laura Moura

 

A apresentadora norte-americana Ellen DeGeneres é uma mulher carismática e influente. Entretanto, isso não a livrou de sofrer opressão e preconceito. Ellen assumiu sua orientação sexual em 1997 e, segundo a própria, a experiência não foi boa.

 

Em entrevista à revista Good Housekeeping, a apresentadora conta que sofreu lesbofobia – discriminação às lésbicas –, tanto do público que a acompanhava, quanto dos próprios colegas de trabalho.

Todo o bullying que sofri (em Hollywood) quando revelei ser lésbica compensou a falta dele na minha infância”, revela. Por conta da discriminação, a jornalista adoeceu e precisou fazer tratamentos. “Eu me mudei de Los Angeles, entrei em uma depressão profunda e tive que visitar terapeutas e tomar antidepressivos pela primeira vez na minha vida”, conta.

A imprensa, na época, teve um grande papel no mal-estar de Ellen ao fazer da sexualidade da apresentadora uma pauta de intensa cobertura. Porém, o acontecimento que mais prejudicou a apresentadora foi o episódio The Puppy, da série Ellen, protagonizada pela própria. Sua personagem, Ellen Morgan, também assumiu ser gay na trama. 

Mesmo alcançando um total de 44 milhões de telespectadores, a série foi cancelada um ano depois da exibição do episódio. “Foi um momento assustador e solitário”, diz Ellen. Para ela, soou como uma situação injusta. “Eu trabalhei incessantemente por 30 anos e, em um piscar de olhos, eu não tinha mais nada. (…) Eu era a mesma pessoa de antes de revelar que era lésbica”, critica. 

A apresentadora optou por fazer meditação, terapia e exercícios para se acalmar, além dos medicamentos. Com o tempo, começou a se sentir melhor. “Hoje eu não acredito como saí daquele buraco e onde cheguei”, diz. 

No momento, Ellen DeGeneres apresenta o bem-sucedido The Ellen DeGeneres Show, no qual recebe ícones e celebridades importantes de Hollywood, além de já ter apresentado o Oscar em 2014. “Atualmente eu não ligo para o que as pessoas falam de mim. Meu lema é: ‘você pode estar comigo ou não’”, conclui.

 

 

http://claudia.abril.com.br/famosos/ellen-degeneres-assumir-lesbica-entrevista/

 

 

 

Comente esta matéria
Título: Ellen DeGeneres sobre se assumir lésbica: “Assustador e solitário”
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.