Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
STF vota fim da proibição de doação de sangue por homossexuais
Jovem é agredido e ameaçado de morte, em festa, por ser homossexual
Dragon Ball Super: Elenco fala sobre possibilidade de Whis e Bills serem gays
Doação de sangue e o Supremo: saúde e igualdade
Frota perde ação, diz que juiz é do movimento gay e “julgou com a bunda”

Tate Britain organiza primeira grande exposição de arte gay britânica

04/04/2017:

 

Mulher posa ao lado de quadro chamado "Autorretrato 1913", da artista Laura Knight, durante a exposição Queer British Art 1961-1967, no Tate Britain, em Londres, em 3 de abril de 2017 - AFP

 

O museu Tate Britain de Londres abre nesta semana a primeira grande exposição de arte gay britânica, no âmbito das comemorações do 50º aniversário da descriminalização da homossexualidade no país.

“Queer British Art 1861-1967” (“Arte britânica gay”) explora os cem anos que se passaram entre a revogação da pena de morte por sodomia e a descriminalização da homossexualidade, e se apresenta como “a primeira grande exposição dedicada à arte britânica gay” (ou “queer”, usando o termo inglês coloquial).

A retrospectiva inclui o quadro que o pintor americano Robert Goodloe Harper Pennington fez do escritor Oscar Wilde em 1881, como presente de casamento, e que é exibido pela primeira vez no Reino Unido.

O quadro “o representa no auge de seu sucesso como escritor, e ao seu lado podemos ver a porta de sua cela”, disse a curadora da exposição, Clare Barlow.

Barlow se referia ao portão de madeira da cela do presídio de Reading no qual Wilde passou dois anos, entre 1895 e 1897, condenado a trabalhos forçados por crimes homossexuais.

A exposição se estende a oito salas, dedicadas a temas como os desejos ocultos, a indecência pública, as tradições teatrais, o desafio às convenções e o conflito entre a vida privada e a pública.

As obras mostram como os artistas do século XIX puderam expressar com sua arte o que não podia ser dito – pintando, por exemplo, homens nus – e como os artistas posteriores à Segunda Guerra Mundial abriram novos caminhos.

A retrospectiva inclui obras de Francis Bacon, David Hockney, Gluck, Cecil Beaton, Simeon Solomon e Henry Scott Tuke, entre outros.

 
 
 

 

 

Comente esta matéria
Título: Tate Britain organiza primeira grande exposição de arte gay britânica
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.