Sábado, 18 de Novembro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
STF vota fim da proibição de doação de sangue por homossexuais
Jovem é agredido e ameaçado de morte, em festa, por ser homossexual
Dragon Ball Super: Elenco fala sobre possibilidade de Whis e Bills serem gays
Doação de sangue e o Supremo: saúde e igualdade
Frota perde ação, diz que juiz é do movimento gay e “julgou com a bunda”

Suprema Corte da Índia mantém proibição de relação sexual gay

28/01/2014:

 

Lei dos tempos coloniais foi voltou a valer no país há um mês.
Governo e entidades dos direitos humanos criticaram medida.

 

Da Reuters

 

A Suprema Corte da Índia se recusou a revisar uma lei de um mês atrás que proíbe o sexo homossexual na maior democracia do mundo, mantendo a decisão que enfureceu o partido governista e ativistas de direitos humanos em todo o mundo.

 

O governo e sete entidades de direitos humanos haviam entrado com petições pedindo à Corte que revisasse sua decisão, na esperança de que fosse revertida.

 

"A Suprema Corte deu as costas a estas entidades e seu sofrimento", disse Arvind Narrain, um dos advogados que entraram com as petições.

 

"O tribunal teve uma oportunidade de se corrigir hoje. Este tribunal deveria ser para todos os seres humanos".

 

Em 11 de dezembro, a mais alta instância do judiciário indiano reinstaurou uma proibição dos tempos coloniais a respeito do sexo homossexual, na esteira de um período de quatro anos de descriminalização que ajudou a trazer a homossexualidade à luz do dia no país socialmente conservador.

 

 

 

Comente esta matéria
Título: Suprema Corte da Índia mantém proibição de relação sexual gay
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.