Terça-feira, 24 de Outubro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
Piso Em Manta Preto Pvc Emborrachado 3mm academia por apenas 31,00m
Número de homicídios contra homossexuais cresce em Alagoas
PSol elege primeiro gay a ocupar presidência de partido no DF
Sam Smith: "Sinto-me tanto mulher como homem"
AccorHotels ativa rúgbi com treino aberto de time LGBT

Transexual brasileira lidera marcha de prostitutas na Itália

18/05/2007: Um protesto "sério, porém colorido". Assim está sendo anunciada a manifestação das prostitutas de Pádua contra a lei do prefeito, Flavio Zanonato, que multa os clientes da prostituição de rua.

Quem lidera as movimentações é a brasileira Kristal, transexual que está na Itália há dez anos e foi eleita porta-voz das prostitutas de Pádua.

Profissionais do sexo de toda Itália devem aderir ao protesto. O ato está marcado para as 16h desta quarta-feira. As prostitutas sairão da estação ferroviária, caminharão por diversas ruas da cidade e terminarão sua marcha na praça central, diante da prefeitura do município.

"Realizar o percurso é uma primeira vitória", anuncia Kristal. "O chefe de polícia de Pádua queria que o protesto parasse antes de chegar à prefeitura, mas uma reunião hoje garantiu as ruas livres no trajeto que nós pedimos", explicou.

"Estaremos vestidas com roupas sóbrias", Kristal avisa. "Claro que não usaremos as roupas do trabalho, porque não queremos provocar nem ser provocadas. Estamos nos manifestando pelos nossos direitos de cidadãs, contra essa lei. Nada mais".

O "colorido", no entanto está garantido segundo a porta-voz. "Haverá muitos balões e cartazes, em muitas línguas, representando todas as nacionalidades das mulheres que trabalham na rua, para dizer não à lei".

Alguns dos cartazes representarão, em dimensões bem maiores, o "selinho rosa do amor", sinal que as prostitutas adotaram para anunciar que qualquer cliente multado enquanto estiver com elas tem direito, em protesto contra a lei, a um novo programa gratuito.

Adesão

A marcha das mulheres deve contar com uma centena de prostitutas de Pádua, além das adesões que chegam de outros lugares da Itália como Roma, Milão, Gênova e Veneza.

Ao chegar ao palácio municipal, o cortejo se encontra com o movimento antiglobalização do Centro Social Pedro. "Os manifestantes farão um acordo", informa o líder do movimento, Max Gallob, "e enviarão ao vivo à rádio independente Sherwood os fatos importantes do dia, com ligações telefônicas de solidariedade de personagens como [o rapper] Caparezza, [a cantora] Gianna Nannini e Don Gallo".

As ações, segundo Gallo, serão feitas "para combater a disputa absurda entre Zanonato, Sergio Cofferati [prefeito de Bolonha] e Giancarlo Gentilini [ex-prefeito e atual vice-prefeito de Treviso] para ver quem é o prefeito mais conservador da Itália".

Outros grupos locais aderem à manifestação, como a Arcigay Padova, a Associação de Defesa dos Trabalhadores, o Vagabondi di Pace e o Opera Nomadi.

Enquanto a lei não é revogada, a polícia de Pádua realiza uma série de ações de repressão à atividade das prostitutas. Nesta noite, três romenas com cidadania européia tiveram seus vistos notificados pelo chefe de polícia. Outras quatro que se recusaram a ser submetidas ao mesmo procedimento foram denunciadas.

Folha on line

 

Comente esta matéria
Título: Transexual brasileira lidera marcha de prostitutas na Itália
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.